856 – Localização e acesso eletrônico (R)

Definição e escopo do campo

Informações necessárias para localizar e acessar informações eletrônicas. O campo pode ser usado em um registro de autoridade para fornecer informações suplementares disponíveis eletronicamente sobre a entidade para a qual o registro foi criado.

O campo 856 é repetido quando os elementos de dados de localização variam (a URL no subcampo $u ou nos subcampos $a e $d, quando usados). Também é repetido quando mais de um método de acesso é usado, sites espelho são registrados, formatos/resoluções diferentes com URLs diferentes são indicados e itens relacionados são registrados.

Veja as Guidelines for the Use of Field 856 para uma discussão mais completa sobre o uso do campo 856.

Orientações para aplicação do campo

Indicadores

Primeiro indicador – Método de acesso

Valor que define a forma de acesso ao recurso eletrônico. Se o recurso estiver disponível por mais de um método de acesso, o campo é repetido com os dados apropriados para cada método. Ao registrar uma URL no subcampo $u, o valor corresponde ao método de acesso (esquema de URL), que também é o primeiro elemento na string da URL.

Os métodos definidos são os principais protocolos TCP/IP (Protocolo de Controle de Transmissão / Protocolo de Internet).


# – Nenhuma informação fornecida

0 – Email

O acesso ao recurso eletrônico se dá por meio de correio eletrônico (e-mail). O acesso inclui a assinatura de um jornal eletrônico ou fórum eletrônico por meio de software destinado a ser usado por um sistema de e-mail

1 – FTP

O acesso ao recurso eletrônico se dá por meio do File Transfer Protocol (FTP).

2 – Login remoto (Telnet)

O acesso ao recurso eletrônico se dá por meio de login remoto (Telnet).

3 – Dial-up

O acesso ao recurso eletrônico se dá por meio de linha telefônica convencional (dial-up). Informações adicionais nos subcampos do registro podem permitir que o usuário se conecte ao recurso.

4 – HTTP

O acesso ao recurso eletrônico se dá por meio do Hypertext Transfer Protocol (HTTP).

7 – Método especificado no subcampo $ 2

O acesso ao recurso eletrônico se dá por um método diferente dos valores definidos e para o qual é fornecido um código de identificação no subcampo $2 (Fonte de acesso).


Segundo indicador – Relacionamento

Relação entre o recurso eletrônico no local identificado no campo 856 e a entidade descrita no registro.

Apenas o valor # (nenhuma informação fornecida) é usado para registros de autoridade.

# – Nenhuma informação fornecida
0 – Recurso
1 – Versão do recurso
2 – Recurso relacionado
8 – Nenhuma constante de exibição gerada


Subcampos

$a – Nome do host (R)

Domínio totalmente qualificado (nome do host) do local eletrônico. Ele contém um endereço de rede que é repetido se houver mais de um endereço para o mesmo host.


$c – Informação de compactação (R)

Informações sobre a compactação de um arquivo, em particular, se um programa específico é necessário para descompactar o arquivo.

Pode ser repetido se dois programas de compactação forem usados, observando primeiro a compactação mais recente.


$d – Atalho (R)

Atalho, a série de nomes de diretório e subdiretório lógico que indicam onde um arquivo está armazenado. O próprio nome do arquivo é registrado no subcampo $f. Este pode ser um atalho substituto que leva o usuário ao host onde as informações de acesso completas e atuais são armazenadas em uma tabela de localização.


$f – Nome eletrônico (R)

Nome eletrônico de um arquivo como ele existe no diretório/subdiretório indicado no subcampo $d no host identificado no subcampo $a. O subcampo $f pode ser repetido se um único arquivo lógico foi dividido em partes e armazenado com nomes diferentes. Nesse caso, as partes separadas devem constituir um único item bibliográfico. Em todos os outros casos, um arquivo que pode ser recuperado com nomes de arquivo diferentes contém várias ocorrências do campo 856, cada uma com seu nome eletrônico correspondente no subcampo $f. Um nome de arquivo pode incluir caracteres curinga (por exemplo, * ou ?), se aplicável. Use o subcampo $z para explicar como os arquivos são nomeados, se necessário.


$m – Contato para assistência de acesso (R)

Nome de um contato para assistência no acesso a um recurso no host especificado no subcampo $a. Para endereços relacionados ao conteúdo do próprio recurso (ou seja, o item representado pelo título registrado no campo 245) em vez de assistência de acesso, o campo 270 é usado. Se os dados do endereço forem iguais, use o campo 270.


$o – Sistema operacional (NR)

Para fins informativos, o sistema operacional usado pelo host especificado no subcampo $a pode ser aqui indicado. As convenções para o atalho e nomes de arquivo podem depender do sistema operacional do host. Para o sistema operacional do próprio recurso (ou seja, o item representado pelo título registrado no campo 245), ao invés do sistema operacional do host que o disponibiliza, é usado o campo 753 (Detalhes Técnicos Acesso a Arquivos de Computador), subcampo $c (Sistema operacional)


$p – Porta (NR)

Parte do endereço que identifica um processo ou serviço no host.


$q – Tipo de formato eletrônico (NR)

Identificação do tipo de formato eletrônico, que é a representação dos dados do recurso, como texto/HTML, ASCII, arquivo PostScript, aplicativo executável ou imagem JPEG. O tipo de formato eletrônico pode ser obtido de listas enumeradas, como Tipos de Mídia da Internet registrados (tipos MIME).

A intenção de especificar este elemento é fornecer informações necessárias para permitir que pessoas ou máquinas tomem decisões sobre a usabilidade dos dados codificados (qual hardware e software podem ser necessários para exibi-los ou executá-los, por exemplo). O tipo de formato eletrônico também determina o modo de transferência de arquivos ou como os dados são transferidos por meio de uma rede. (Normalmente, um arquivo de texto pode ser transferido como dados de caractere, o que geralmente restringe o texto a caracteres no ASCII (American National Standard Code for Information Interchange (ANSI X3.4)) conjunto de caracteres (ou seja, o alfabeto latino básico, dígitos 0-9, alguns caracteres especiais e a maioria dos sinais de pontuação) e arquivos de texto com caracteres fora do conjunto ASCII ou dados não textuais (por exemplo , programas de computador, dados de imagem) devem ser transferidos usando outro modo binário).


$s – Tamanho do arquivo (R)

Tamanho do arquivo conforme armazenado no nome do arquivo indicado no subcampo $f. Geralmente é expresso em termos de bytes de 8 bits (octetos). Pode ser repetido nos casos em que o nome do arquivo é repetido e segue diretamente o subcampo $f ao qual se aplica. Esta informação não é fornecida para periódicos, uma vez que o campo 856 está relacionado ao título completo, não a questões particulares.


$u – Uniform Resource Identifier (R)

Uniform Resource Identifier (URI), que fornece sintaxe padrão para localizar um objeto usando protocolos de Internet existentes ou por resolução de um URN. O campo 856 está estruturado para permitir a criação de um URL a partir do encadeamento de outros subcampos 856 separados. O subcampo $u pode ser usado no lugar desses subcampos separados ou em adição a eles.

Pode ser repetido apenas se um URN ou um URL ou mais de um URN forem registrados.


$v – Método de acesso por horas disponível (R)

O horário em que o acesso a recurso eletrônico está disponível no local indicado neste campo. Utilizado apenas para registrar os horários de disponibilidade do local específico indicado no campo 856.


$w – Número de controle de registro (R)

Número de controle do sistema do registro relacionado precedido pelo código MARC, entre parênteses, para a agência à qual o número de controle se aplica. Os dados no subcampo de campo de ligação do 856 para o registro MARC tendo os mesmos dados em um campo de número de controle. Consulte o Apêndice G para obter uma lista das fontes de código da organização usadas nos registros MARC 21.


$x – Nota não pública (R)

Nota referente à localização eletrônica da fonte identificada em campo. A nota foi escrita de uma forma inadequada ou não destinada à exibição pública. Ele também pode conter informações de processamento sobre o arquivo no local especificado.


$y – Link do texto (R)

O texto do link é usado para exibição no lugar do URL no subcampo $u (Uniform Resource Identifier). Quando o subcampo $y está presente, os aplicativos devem usar o conteúdo dele como o link em vez do subcampo $u vinculando ao destino no subcampo $u.

O uso do link do texto independe de qualquer decisão sobre o segundo valor do indicador.


$z – Nota pública (R)

Nota referente à localização eletrônica da fonte identificada no campo. A nota é redigida em um formato adequado ou destinado à exibição pública.


$2 – Método de acesso (NR)

Método de acesso quando a primeira posição do indicador contém o valor 7 (Método especificado no subcampo $2). Código de: Electronic Access Methods Code List.


$3 – Materiais especificados (NR)

Informações que especificam a parte da entidade à qual o campo se aplica.


$6 – Ligação (NR)

Veja a descrição deste subcampo no Apêndice A: Subcampos de controle.


$7 – Estado do acesso (NR)

Código que indica a disponibilidade de acesso ao recurso eletrônico remoto cujo endereço consta do subcampo $u. O subcampo $7 se aplica a todos os subcampos $u presentes no campo.


0 – Acesso aberto

O recurso eletrônico remoto é livre e abertamente acessível online a todos, sem restrição, login ou pagamento.


1 – Acesso restrito

O recurso eletrônico remoto não está livre e abertamente acessível online.


u – Não especificado


z – Outro


$8 – Campo de ligação  e número de sequência (R)

Veja a descrição deste subcampo no Apêndice A: Subcampos de controle.


Convenções de entrada

Espaçamento de sublinhado e til em URLs – Em fevereiro de 1994, caracteres adicionais no conjunto de caracteres MARC foram definidos para acomodar as necessidades bibliográficas existentes e para alinhá-lo com os conjuntos de caracteres ASCII e ANSEL. Tanto o sublinhado de espaçamento quanto o til de espaçamento foram adicionados na época devido à necessidade de recursos eletrônicos nos nomes de diretório e arquivo.

Muitos sistemas implementaram esses caracteres, no entanto, para sistemas que não implementaram o espaçamento sublinhado e til, os seguintes caracteres alternativos podem ser usados:

% 5F para espaçamento sublinhado

%7E para espaçamento til


Exemplos

856 com URL/URN:
100 1# $a Russell,Bertrand, $d 1872-1970
856 4# $u http://plato.stanford.edu/entries/russell/russell.jpeg $y photograph
100 0# $a Leonardo,$cda Vinci, $d 1452-1519. $t Mona Lisa
856 4# $u http://www.ibiblio.org/wm/paint/auth/vinci/joconde/ $y description
856 4# $3 image $u http://www.ibiblio.org/wm/paint/auth/vinci/joconde/joconde.jpg

110 2# $a Library of Congress. $b Copyright Office
856 4# $u http://www.loc.gov/copyright

111 2# $a International Conference on the Principles and Future Development of AACR
856 4# $u http://www.collectionscanada.ca/jsc/

150 ## $a Presidents’ spouses $z United States
856 4# $u http://www.firstladies.org/

Histórico

  • $b – Número de acesso [OBSOLETO, 2020]
  • $g – Nome de recurso uniforme [OBSOLETO, 2000]. Como o subcampo $g (nome eletrônico – fim de intervalo) raramente era usado, ele foi redefinido como Nome de recurso uniforme em 1997. Posteriormente, tornou-se obsoleto em favor do registro do URN no subcampo $u.
  • $h – Processador da solicitação [OBSOLETO, 2020]
  • $i – Instrução [OBSOLETO, 2020]
  • $j – Bits por segundo [OBSOLETO, 2020]
  • $k – Senha [OBSOLETO, 2020]
  • $l – Logon [OBSOLETO, 2020]
  • $n – Nome do local do host [OBSOLETO, 2020]
  • $r – Configurações [OBSOLETO, 2020]

Histórico da tradução:

  • 2021-05-26 – Publicação da tradução